Minha hospedagem em San Pedro de Atacama

Quando eu fui a San Pedro de Atacama fiquei no Hostal Kirckir, e resolvi fazer um post para esse hostel porque ele foi o melhor de todo o mochilão e eu fui muito bem tratada. Não estou ganhando nada em troca disso, deixando bem claro. É pura informação sobre um bom lugar para ficar em…

Meu primeiro Mochilão – A despedida do Atacama

Outro dia no Atacama e o último, infelizmente. Precisávamos comprar as passagens para Arica, uma cidade chilena litorânea, que iríamos apenas para atravessar a fronteira com o Peru. Também queríamos fazer algum outro passeio, na esperança de, enfim, a neve ter melhorado e os passeios terem voltado. Ledo engano, nada feito. Os passeios continuavam cancelados.…

ATACAMA – Roteiro de 3 dias

Mesmo com tudo dando "errado" na vez que eu tive a oportunidade de conhecer o deserto mais árido do mundo, o Deserto do Atacama (eu conto essa desventura aqui), eu montei um roteiro de 3 dias ( o primeiro começando às 14 horas e o último terminando às 21 horas). E, para os que terão…

Meu primeiro Mochilão – O deserto do Atacama e a falta de sorte

O roteiro original para o deserto do Atacama eram 3 dias, o primeiro começando a partir de 14 horas e o último terminando às 21 horas com o ônibus para Arica, também no Chile. Com os acontecimentos que eu contei no post anterior, e você pode ler Aqui, o primeiro dia ficou completamente comprometido. Chegamos…

Meu primeiro Mochilão – Os dias no Salar de Uyuni e atravessando a fronteira do Chile

O dia começou de madrugada. Ainda estava escuro quando acordei, e acredito que tenha sido a última a acordar, porque os meninos já estavam tomando o café da manhã. O frio era enorme, acho que nunca tinha sentido tanto frio. Me levantar foi uma tortura. Me arrumei, tomei o café e, aproximadamente, às 8 horas…

Meu primeiro mochilão – disponibilizando minha planilha de 18 dias por Bolívia, Chile e Peru.

Todo mundo, que hoje pode dar dicas e conversar sobre viagens, já teve que enfrentar seu primeiro mochilão. Digo ENFRENTAR, porque definitivamente é um desafio. É um frio na barriga, são dias sem comunicação, é cultura diferente, é baixo custo, é perrengue todo dia. Grandes viagens me fascinam, porém meu bolso só cabe o baixo…