Petrópolis – Museu Imperial

O estado do Rio de Janeiro é cheio de cidades turísticas e históricas, porque teve uma grande concentração de acontecimentos importantíssimos para a história do Brasil. Sua capital, a cidade do Rio, foi capital da colônia, do Império e até 1960, quando Juscelino Kubitschek tornou Brasilia a capital do país.

E falando dos tempo monárquicos do Brasil, uma outra cidade, também no estado, foi consagrada como cidade de veraneio da família real e toda a corte, grandes burgueses e intelectuais da época.

Com uma distância de, aproximadamente, 68 km do Rio de Janeiro e em uma serra que traz um clima ameno, em comparação ao calor tropical da capital, Petrópolis logo ganhou o carinho dos ricos e nobres brasileiros, na época imperial e na época republicana.

E foi nela, que em 1847 foi inaugurado o palácio de veraneio da família real brasileira. Hoje, o Museu Imperial.

caraíva (6 de 5)
Museu Imperial em Petrópolis

Museu Imperial, popularmente conhecido como Palácio Imperial, está instalado no antigo Palácio de Verão do imperador Dom Pedro II. Com a proclamação da República, em 15 de novembro de 1889, houve o banimento da família imperial, que se exilou na Europa. Apenas em 1940, o presidente Getúlio Vargas criou o Museu Imperial.

O acervo do museu é constituído por peças ligadas à monarquia brasileira, incluindo mobiliário, documentos, obras de arte e objetos pessoais de integrantes da família imperial.

Além de toda a área do prédio, o museu está envolto em uma área arborizada, que pode ser usada para passar uma tarde e fazer um piquenique ao ar livre em um local seguro.

caraíva (5 de 5)
Museu Imperial de Petrópolis

Os jardins que envolvem o Palácio possui desde árvores exóticas, como as bananeiras de Madagascar, árvores de incenso e  flores como camélias, jasmins, manacás.

caraíva (3 de 5)
Museu Imperial de Petrópolis

No museu, o destaque fica pela sala do trono, com o trono original que o imperador sentava, que veio do Museu de História Natural da Quinta da Boa Vista (o Palácio de São Cristóvão – residência oficial do imperador). Também é de suma importância a coroa usada por D.Pedro II; o colar de ouro, esmeraldas e rubis com insígnias do império que pertenceu à imperatriz dona Leopoldina (primeira esposa de D.Pedro I), e o colar de ametistas da Marquesa de Santos, presente de dom Pedro I. Também se destaca a Pena Dourada usada pela Princesa Isabel em 13 de maio de 1888 para assinar a Lei Áurea.

 

O museu funciona de terça à domingo das 11:00 horas até as 18:00 horas. As segundas ele não abre. Os jardins abrem as 08:00 horas e fecham as 18:00 horas.

caraíva (7 de 5)
Museu Imperial de Petrópolis

Ingressos:

Inteira – R$ 10,00

Meia, estudantes e idosos acima de 60 anos – R$ 5,00

Anúncios

Autor: Paola Groberio

Carioca, 24 anos e estudante de História na Uff. Tenta conciliar sua rotina com viagens sempre que pode, porque não consegue passar um dia sem pensar em viajar. Quando consegue, pega sua mochila e parte por aí para passar por perrengues e ter as melhores experiências possíveis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s